Olha eu no Pint of Science!

A escritora Ursula K. Le Guin certa vez disse que, para o autor de ficção científica, "o futuro é uma metáfora". Já para o inventor da expressão "ficção científica", o escritor e editor Hugo Gernsback, uma das principais funções do gênero era inspirar engenheiros e cientistas, dando-lhes ideias para serem executadas no futuro. Esse foco no desenvolvimento técnico talvez ajude a explicar por que tantas aventuras passadas milhares de anos no futuro reproduzem estruturas sociais dos anos 30.

Ao longo do século 20, milhares de contos, novelas e romances previram coisas a colonização do Sistema Solar, o Holocausto Nuclear ou a conquista da Terra por alienígenas -- mas apenas uma história, publicada em 1946 e hoje quase esquecida, previu não só a internet como os serviços de streaming, e também os dilemas éticos envolvendo privacidade e liberdade de informação que enfrentamos hoje.

Afinal, qual a relação entre a ficção científica e o futuro? Na noite da próxima terça-feira, em Campinas, vamos conversar sobre isso com cerveja na mesa e muita descontração. Esta será minha participação no festival internacional Pint of Science, que tradicionalmente reúne cientistas e público para uma conversa animada no bar. O fato de eu não ser cientista -- nem Currículo Lattes tenho! -- só me faz sentir extremamente honrado com o convite. Local e hora da minha apresentação (só no gogó, sem Power Point, como ditam as regras do projeto) estão na imagem abaixo:




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Baleia ou barriga?

O financiamento público da pseudociência

Design Inteligente é propaganda, não ciência