Postagens

Mostrando postagens de Julho 31, 2011

Man at Work

Imagem
Não sei se alguém notou, mas este blog não foi atualizado nem quinta, nem sexta-feira. O motivo é que voltei a trabalhar fora de casa -- isto é, com carteira assinada, salário, essas coisas. Passei a fazer parte da equipe (de três) que edita a revista Ensino Superior Unicamp e o website Inovação Unicamp.

O lado positivo disso é que minha vida financeira volta a ter alguma previsibilidade; e que, por não ser a Unicamp um gigante da mídia desesperado para atrair audiência a qualquer custo, serei poupado de roubadas como ter de correr atrás da última declaração de Geisy Arruda ou outras besteiras. O negativo é que o tempo e a energia disponíveis para este blog serão diluídos entre outras tarefas.

(Supondo, claro, que alguém realmente ache que ter menos de minhas opiniões não-solicitadas flutuando por aí seja mesmo algo "negativo".)

O blog continua vivo, mas de uma forma mais errática. O que é uma pena, porque havia rompido a "barreira" dos 10.000 acessos pela segunda v…

Laputa fica em lua de Marte

Imagem
Leitores das Viagens de Gulliver, de Jonathan Swift, provavelmente se lembram de Laputa, uma ilha que flutuava na atmosfera da Terra, movida a energia magnética, e cujos habitantes haviam descoberto duas luas em Marte -- sendo que o livro foi escrito 150 anos da descoberta real das luas, Fobos e Deimos.

Bem, finalmente os "descobridores" originais das luas ganharam uma homenagem: uma área da superfícia de Fobos foi batizada de Laputa Regio (Região Laputa). Um novo mapa de Fobos aparece na imagem abaixo (clique nela para ampliar!).


Compare com o mapa da Laputa ficcional:



Fobos é o alvo da missão Phobos-Grunt, um ambicioso projeto russo -- que prevê, entre outras coisas, o recolhimento de amostras da lua para serem analisadas aqui na Terra -- cujo lançamento já foi adiado algumas vezes, mas que agora deve sair entre o fim deste ano e o início do próximo.

De "carona" da Phobos-Grunt vão a primeira sonda marciana chinesa, e um experimento biológico da Planetary Society…

Veja Vesta girando!

Imagem
Vídeo da rotação do asteroide Vesta, feito com base em imagens de alta resolução produzidas pela sonda Dawn, da Nasa:



Uma análise detalhada das imagens você pode ler aqui. Mas, por favor, só depois de se maravilhar com o espetáculo: esta bola cinzenta aí em cima é uma rocha de 500 km de diâmetro, localizada no cinturão de asteroides entre Marte e Júpiter.

Ciência e religião: acertando o Ramadã

Imagem
O mundo muçulmano entrou no mês sagrado de Ramadã nesta segunda-feira, dia 1° de agosto. A fixação do momento exato do início do Ramadã é, se não exatamente complexa, certamente aberta a alguma controvérsia -- pelo tradicional calendário lunar islâmico, os meses começam com a primeira observação da lua crescente.

O instante, portanto, pode variar tanto com a posição geográfica do observador, como com o tipo de equipamento usado para resolver a primeira réstia de luz no canto do disco lunar -- o olho nu sendo, compreensivelmente, capaz de uma resolução menos precisa que um binóculo ou telescópio.

(Há um bom artigo sobre o calendário muçulmano, aqui.)

O assunto do início do Ramadã, um mês de jejum e orações, é levado muito a sério nos países islâmicos. Os sauditas, por exemplo, foram autorizados a usar telescópios para fazer a determinação apenas em 2009. Há alguns dias, a suprema corte do país emitiu ordem para que todos os que observassem a lua crescente registrassem o avistamento com…

O preço do laicismo é a eterna vigilância

Imagem
Em termos ideais, um Estado laico é um Estado onde considerações de natureza religiosa são, essencialmente, irrelevantes para a administração do governo e a definição de políticas públicas. Ou, nas palavras imortais de John F. Kennedy (que, espero, um dia algum político brasileiro terá cojones -- ou ovários -- para reafirmar):

 Eu acredito em um país onde a separação entre Igreja e Estado é absoluta, onde nenhum prelado católico dirá ao presidente (se este for católico) como agir, e nenhum ministro protestante dirá a seus fiéis como votar; onde nenhuma igreja ou escola religiosa receberá verbas públicas ou favores políticos; e onde nenhum homem será rejeitado para um cargo público apenas porque sua religião difere da do presidente que poderia nomeá-lo, ou da do povo que poderia elegê-lo.Eu acredito em um país que não é, oficialmente, nem católico, nem protestante, nem judeu; onde nenhuma autoridade pública pede ou acata instruções sobre políticas públicas do papa, do Conselho Nacional …