Postagens

Mostrando postagens de Janeiro 16, 2011

Veja lua de Marte em 3D!

Imagem
A Agência Espacial Europeia (ESA) divulgou imagens feitas por sua sonda Mars Express durante uma passagem próxima a Fobos, uma das duas luas de Marte. Uma das imagens é um anaglifo, uma sobreposição das cores azul e vermelho que permite uma visão em 3D da lua, desde que se tenha os óculos adequados, com celofane vermelho sobre o olho esquerdo e azul no direito.

Esses óculos vêm de brinde em gibis 3D (como a HQ Superman: Last Son, do Super-Homem), e a Nasa oferece um tutorial para quem quiser fazer um par em casa (que você encontra aqui). Aliás, a Nasa também ensina a fazer imagens 3D com uma câmera digital comum.


O efeito 3D funciona porque as cores sobrepostas da imagem, filtradas pelos celofanes de cores diferentes, garantem que um olho registre uma imagem ligeiramente diferente da que está sendo captada pelo outro -- exatamente o mesmo efeito que gera a visão tridimensional normal.

Uma teoria sobre a origem de Fobos (cujo nome signifca "Medo", em grego) propõe que ela sej…

2011, o ano em que decidiremos o destino da varíola

Imagem
A primeira epidemia de varíola de que há conhecimento ocorreu em 1350 AEC. Cicatrizes causadas pela doença aparecem na múmia do faraó Ramsés V. Os colapsos do Império Romano e dos Impérios Asteca e Inca podem ter sido apressados pela doença, que durante o século XVIII matava cerca de meio milhão de pessoas ao ano, somente na Europa.

Reis e imperadores, entre eles Pedro II da Rússia, Luís XV da França e Higashiyama do Japão sucumbiram ao vírus da Variola vera.

A doença em si pode ser descrita como o material de que pesadelos são feitos: começando com fortes dores de cabeça e crises de ansiedade, ela evolui para feridas que se espalham pela pele, e que podem causar sangramento a partir dos olhos, das gengivas, dos ouvidos e do nariz.

Conforme a doença progride, as feridas acabam cobertas de bolhas que se vão enchendo de pus, esticando-se até um ponto em que chega a se tornar impossível reconhecer o doente por baixo da camada de pústulas. Então as bolhas estouram. O cheiro que emana das f…

Regressão estatística e ciências humanas: atração fatal

Imagem
É possível usar uma equação matemática para prever que países correm mais risco de sofrer violência interna contra o Estado? Andam dizendo que sim: a corporação Milcord afirma ter desenvolvido um "modelo de regressão" que analisa diversos dados publicamente disponíveis e prevê o risco de intensificação da violência política em todo o mundo, entre 2010 e 2014. Regressão, hum? Continue lendo.

No dia 7 de janeiro de 2012, quando estiver completando um ano, este blog receberá exatamente 5.847 visitas. Com base em quê afirmo disso? Num modelo de regressão.

Para fazer esse tipo de análise, você pega um conjunto de dados (por exemplo, o número de visitas ao blog a cada dia) lança-o num gráfico, traça uma curva que passe por todos os pontos -- ou, ao menos, bem perto da maioria deles -- e pede ao computador que deduza uma equação capaz de produzir exatamente aquela curva (ou uma aproximação razoável).

Aí (esta é a parte bonita da história) você usa a equação para descobrir as coorde…

O cachorro unicelular imortal apronta mais uma

Imagem
A revista Science desta semana traz um artigo sobre uma das mais bizarras formas de vida existentes na Terra: o  Tumor Venéreo Transmissível Canino, ou TVTC. Agora, talvez você esteja confuso: eu falei em ser vivo e dei o nome de uma doença. Como assim?

Bom, o fato é que o tumor canino é um ser vivo -- basicamente, uma célula que passa de um cão para outro (como o "venéreo" do nome diz, geralmente durante o ato sexual) e sobrevive como parasita do novo hospedeiro, sequestrando recursos de seu corpo para reproduzir-se.

O que faz do TVTC uma criatura única, diferente de praticamente todos os parasitas conhecidos (o único caso similar ocorre em diabos da Tasmânia) é o fato de que, geneticamente, ele é um animal canino. Você pode imaginá-lo como um cão unicelular que vive pulando de hospedeiro em hospedeiro há 10.000 anos. Sabe-se que os tumores atuais têm todos um ancestral comum de alguns séculos atrás.

(Fico imaginando a questão bioética que surgiria se uma doença assim apare…

Vela solar na Nasa ressuscita e liga para casa

Imagem
Esta história começa com um caramuru dando chabu: em 6 de dezembro, a Nasa ordenou a um satélite em órbita terrestre que abrisse uma comporta e ejetasse uma vela solar, a Nanosail-D. Tudo parecia ter dado certo, mas a vela não deu sinal de vida (ela contém um transmissor de rádio que em tese deveria ser captado por radioamardores na frequência de 437,270 MHz -- mais detalhes aqui.)

Agora, no entanto, a Nasa avisa que a vela está viva e passa bem. Aparentemente, ela se ejetou sozinha em algum momento desta semana. A ejeção foi confirmada ontem, quarta-feira.

A Nanosail-D é realmente "nano", com uma área de 10 metros quadrados. A vela solar lançada ao espaço pelo Japão no ano passado, a Ikaros, em comparação tem mais de 200 m².

Velas solares obtêm propulsão a partir do impacto das partículas de luz do Sol, os fótons. Com suas superfícies espelhadas, conseguem energia para se mover duas vezes a cada impacto -- uma quando o fóton as atinge, e outra quando ele é ejetado (refletid…

Lá vamos nós: a fusão a frio ataca novamente

Imagem
Dois cientistas italianos, Andrea Rossi e Sergio Focardi,realizaram uma coletiva de imprensa para anunciar o sucesso de um dispositivo de fusão nuclear que opera à temperatura ambiente e que transforma átomos de hidrogênio e de níquel em cobre, liberando no processo 30 vezes mais energia do que é consumida. No entanto, o artigo técnico que descreve o feito foi rejeitado por todas as revistas científicas a que foi submetido, o resultado viola as leis da Fìsica (o próprio artigo, disponível online, admite isso) e nenhuma descrição detalhada no sistema foi apresentada até agora. Uma primeira tentativa de obter uma patente internacional para o aparato não foi muito bem-sucedida.

Se o parágrafo acima não deixou você com a pulga atrás da orelha, continue lendo.

Um vídeo sobre a apresentação do sistema, publicado no site Physorg.com, mostra basicamente uma caixa preta (na verdade, azul) coberta de aparelhos, cientistas falando e uma tela de computador onde aparecem números e uma curva -- alg…

Moléculas da vida são selecionadas no espaço?

Imagem
Uma das coisas mais estimulantes da ciência é a forma como novas informações podem alterar a maneira pela qual antigos dados são interpretados. Veja, por exemplo, a relação entre a quiralidade dos aminoácidos e a ideia de que os ingredientes da vida podem ter chegado à Terra vindos do espaço.

Ainda comigo? Bom ver que os leitores do blog não temem polissílabos. Por partes: aminoácidos são moléculas que, ligadas em cadeia, formam proteínas. Proteínas, por sua vez, são as principais moléculas que formam e que trabalham no seu corpo, e que formam e trabalham nos corpos de todos os demais seres vivos.

(Por falar nisso, quando um comercial de cosmético ou suplemento alimentar diz que o produto anunciado contém "aminoácidos essenciais", ele não está oferecendo nada que você não possa obter de um modesto bifinho.)

Sobre a quiralidade: a palavra tem a mesma raiz de quiromancia, a empulhação  arte de ler o futuro na palma da mão, o grego chéri, que significa, adivinhe só, "mão&q…

O planeta habitável que talvez não esteja lá

Imagem
No ano passado, em plena corrida eleitoral, escrevi uma matéria que, durante algumas horas, foi a mais lida de todo o estadão.com.br, superando até mesmo o circo Serra/Dilma: tratava-se da descrição da descoberta de Gliese 581g, um planeta com cerca de 4 vezes a massa da Terra e que é potencialmente habitável. Mas, como dizem os latinistas, sic transit gloria mundi: algum tempo depois, a existência do planeta foi posta em dúvida por outra equipe de astrônomos (o que também noticiei dilgentemente).

Vários meses mais tarde, análise estatística feita por um terceiro astrônomo, não envolvido com nenhuma das duas equipes anteriores, sugere que a chance de Gliese 581g realmente existir é de parcos 0,002%.

Situação que deve deixar muita gente coçando a cabeça. Digo, como é possível não ter certeza de se um planeta existe? Essas coisas são enormes, e Gliese 581g é maior que a Terra, ora bolas. Uma coisa é não saber onde estão as chaves de casa, outra é perder uma massa equivalente a dez noni…

Clonagem de mamute: origens

Imagem
Você percebe que está ficando velho nesse negócio de divulgação científica quando vê uma notícia fresquinha e se lembra de já ter conversado com os protagonistas da história na década passada.

O caso da clonagem de mamute, por exemplo: em 2008, entrevistei um dos cientistas japoneses que agora está envolvido no projeto,Teruhiko Wakayama, que havia acabado de publicar um artigo científico a respeito da clonagem de camundongos congelados na revista científica PNAS.

Nos e-mails que trocamos então, Wakayama dizia esperar que que a tecnologia estaria madura para permitir tentar a criação de um mamute vivo - com o uso de um núcleo de célula de mamute congelado e um óvulo de elefante, a mesma técnica descrita nas notícias mais recentes - "dentro de 20 anos".

Agora, ele integra uma equipe que espera conseguir o feito dentro de seis anos, ou após apenas 11 anos da combinação original sobre camundongos.


Mas nem tudo são flores. Também em 2008, entrevistei Stephan Schuster, um dos resp…

Cientistas se aproximam de lago isolado há 15 milhões de anos

Imagem
O website da revista Nature traz uma excelente reportagem sobre a corrida de cientistas russos para perfurar os últimos 40 metros dos cerca 4 km de gelo que separam a superfície do continente antártico das águas do Lago Vostok, um dos últimos ambientes do planeta Terra ainda intocados por mãos humanas.

Com uma área de 15.000 km² -- o tamanho aproximado do País de Gales -- e uma profundidade máxima de cerca de 800 metros, o lago fica a 1.300 km do polo sul. O lago está isolado do resto do mundo há 15 milhões de anos, mas (diz a Wikipedia) é possível que o lento deslocamento da capa de gelo da Antártida faça com que a água do lago seja trocada a cada 13 mil anos.

Um dos principais objetivos da perfuração é, claro, procurar por sinais de vida, presente ou passada. Uma massa de água isolada por gelo há milênios é a situação existente, por exemplo, em Europa, uma lua de Júpiter tida como candidata a abrigar vida.

(Antes que você imagine um monstro como o do filme O Enigma do Outro Mundo --…

Sherlock Homes, a Bíblia e eu

Imagem
Ontem recebi uma carta -- veja bem uma carta, que veio pelo correio -- cumprimentando-me e confirmando a primeira publicação de um artigo meu (um "paper") numa revista acadêmica (um "journal"). Bom, mais ou menos. Ou quase.

A carta, muito gentil, do secretário dos Baker Street Irregulars -- o principal grupo internacional de estudo e discussão sobre Sherlock Holmes -- confirma a presença de meu "paper" The Brazilian Villainesses  of the Canon ("As Vilãs Brasileiras do Cânone") na edição de inverno do prestigioso periódico The Baker Street Journal, "BSJ" para os íntimos.

Essa edição deve sair até março (quando termina o inverno no hemisfério norte), então terei de esperar até lá para ver o filhote em papel.

Meu artigo faz parte daquilo que os aficionados por Holmes chamam de "O Grande Jogo" -- uma espécie de Role Playing Game acadêmico onde os autores fingem que os 56 contos e quatro romances estrelados por Holmes não são frut…

Saúde, jornalismo e a febre da correlação

Imagem
A frase, creio, é do colunista britânico Ben Goldacre: a missão do jornalista que escreve sobre saúde é dividir todas as substâncias do Universo, sejam de origem animal, vegetal ou mineral, em duas e apenas duas categorias: as que causam câncer e as que evitam câncer.

A piada é boa e, tendo militado um pouco na área, não tenho como negar que contém aquele grão de verdade que define as formas mais sofisticadas de humor, transmutando o mero chiste em valioso insight. Neste caso específico, há, de fato, múltiplos insights.
O primeiro é de que esse jogo de "provoca/evita" não é difícil de fazer, principalmente quando se perde de vista a velha máxima de que "correlação não é causação" -- isto é, de que coisas que variam de forma semelhante ao longo do tempo não estão necessariamente relacionadas por causa e efeito. Veja, por exemplo, o gráfico abaixo:


Ele mostra que o número de mortes por câncer no Brasil aumentou junto com crescimento da economia ao longo de um período d…

O zodíaco de 14 constelações e a Era de Aquário

Imagem
(Nota aos leitores: esta postagem foi ampliada em 2015 e virou um capítulo inteiro do meu Livro da Astrologia, um tratamento mais detalhado da arte, sua história e dos testes científicos a que foi submetida.) 


Eis que, graças a um astrônomo de Minneapolis, EUA, a cultura popular redescobriu que o zodíaco usado na confecção de horóscopos não corresponde ao estado real das coisas no céu. O impacto e a surpresa provocados pela "chocante" informação (em domínio público há séculos), que causou ondas de comentários no Twitter, é o tipo de coisa que me faz pensar se o planeta não estaria em mãos mais sábias se as baratas tomassem o poder logo de uma vez.


Mas, não compensa ser ranzinza aos domingos. Se você se interessou pela história da entrada do "signo" de Ofiúco (o Carregador de Serpentes) e quiser ter uma ideia mais clara do que se trata essa confusão toda, continue lendo.

Antes de ser o nome de um disco com símbolos engraçados na borda, a palavra "zodíaco" f…